O meu mundo · textos aleatórios

Amor nem sempre bate à porta

“Acho que sempre tive um bom coração.
Talvez seja por isso que acabe sempre por ser magoada.”

O mundo é feito de pessoas que não sabem valorizar sentimentos, palavras e ações, pessoas que não percebem aquilo que fazemos ou que apenas nem tentam perceber.
O mundo seria mais simples se fossemos todos diretos, que disse-se-mos quais são as nossas intenções desde o início, haveria mais felicidade, menos confusão, menos lágrimas, menos sofrimento, mas… temos medo, medo da resposta, medo da reação, medo do sofrimento. Quando que, sem percebemos, já estamos a sofrer, a sofrer por não ter aquela pessoa que amamos, por ela não nos notar, por estarmos iludidos, por sermos iludidos, por querer mais, por querermos o seu coração, por apenas as querer-mos amar.

“Custa-me apaixonar, mas quando o finalmente o faço
 acabo sempre com lágrimas nos olhos”

Porque é tão difícil encontrar alguém que goste de nós? Que não faça jogos, que não se aproveite, que não nos iluda, que apenas queira nos conhecer, fazer-nos sorrir, esquecer os problemas, proteger-nos, preocupar-se connosco, passar todo o tempo ao pé de nós, que apenas queira nos amar.

“Não era rapaz para ti” “Tens um bom coração, o mundo é que não presta”
“Um dia irá aparecer alguém que goste verdadeiramente de ti”

Quantos somos a levarmos com frases de ânimo? Frases para nos motivarem, mas que nos fazem chorar por amarmos e por não sermos amados, dezenas, centenas… milhares?
Não és tu que estás mal, é o mundo e a vida. As pessoas não nascem para sofrer, nascem para serem felizes, mas quanto tempo demora até o sermos?
Por vezes, podemos até nem querer amar, mas a própria sociedade faz com que desesperemos por não termos alguém connosco.

“19 anos e nunca namoraste? 
Estás à espera do príncipe encantado? Ele não existe.”

Talvez para alguns seja fácil amar, mas nem todos somos assim. Agora o amor parece tão falso, a maioria das pessoas não vive as relações, vive status de facebook, fotos para o instagram, conversas no chat,  pedidos no facebook, trocas de likes, tinders…
A tecnologia só fez com que o amor se tornassem cada vez mais raro. As pessoas já não amam, “ficam”, têm “amizades coloridas” o amor já não é algo que é dado a uma pessoa, mas sim sempre à próxima que aparece no caminho. A maioria agora vê o amor dessa maneira, mas continua a ser algo revoltante, pois ainda existe quem ainda acredite no amor verdadeiro, no amor que se constrói, no amor que dura.

“Só me apaixonei três vezes nos meus 19 anos,
Saí magoada nessas três vezes.”
“Talvez haja algo errado em mim…”

Quando somos magoados, só pensamos nos nossos defeitos, o que podemos ter de errado para a pessoa não gostar de nós.

“Sou demasiado alta” “Não tenho atributos” “Não sou bonita” “Uso óculos”
“Sou chata” “Sou doida” “Tenho uns gostos estranhos”

Porque pensamos tanto nos nossos defeitos? Para além de não serem defeitos, são aquilo que nos torna diferente dos outros, e haverá alguém que os aceitará a todos e que não verá isso como defeitos, mas qualidades, qualidades que fazem de nós a pessoa que ele/ela ama.

“Talvez algum dia encontre alguém que ame e que me ame também.”

Enquanto a pessoa não vier, vive, não vale a pena sofrer por quem não merece, de que vale largar lágrimas por pessoas que não querem saber de ti?
Não penses mal de ti, segue em frente, é difícil, claro que é, pega na cola, volta a colar os pedacinhos do teu coração, e guarda esse amor não correspondido no fundo do teu coração, fechado a sete chaves.

Não congeles o teu coração, não te fartes de amar, sei que é difícil sofrer tanto, mas amar é também algo que nos faz feliz, não vale a pena correr o risco? Não te arrependas de ter amado, pois tudo é uma aprendizagem na vida, amar trás sempre coisas boas, momentos bons.

Segue em frente, pois se o amor ainda não te bateu à porta um dia baterá, não lhe tranques a porta quando isso acontecer, pois ao abris-la vais abrir também o teu coração à outra metade que te falta.


As frases a negrito são a minha vida, digamos assim, e o a texto normal é um pouco também para me mentalizar que as deceções acontecem e que mesmo estando magoada tenho de seguir em frente e esperar que algum dia o amor também me venha bater à porta. Espero que quando o fizer seja logo direto comigo, pois eu sou horrível no que toca a isso :p
Anúncios

2 thoughts on “Amor nem sempre bate à porta

  1. Desculpa desde já o texto tão grande, mas é que o teu texto é inspirador para fase que eu estou a passar na minha vida.
    Tenho 24 anos e só namorei uma vez (tinha 14), mas se me perguntares se realmente o amei, a minha resposta é não. Eu na altura achava que sim, mas com o passar do tempo percebi que era apenas amizade. Passando um tempo, depois de acabar (porque sabia que não estava correto continuar a relação), percebi que ele nem amigo poderia ser, pois andou o tempo todo a trair-me (em termos físicos e de confiança). Fiquei durante bastante tempo a sentir-me culpada e perguntando o que eu tinha feito de mal. Naquela altura fechei-me completamente para qualquer tipo de relação. Hoje em dia, torna-se mais fácil e ao mesmo tempo difícil. Nunca amei, mas há dois meses conheci um rapaz que me fez ficar com uma sensação estranha (mas boa) desde principio que o vi (nunca me tinha acontecido). Começamos a falar e fazer perguntas um ao outro, sobre temas completamente aleatórios (tive a sensação que nos conhecíamos há muito tempo). Foi como filme ou livro (eu sei que é estupido dizer isto, eu própria não acreditava que isso poderia acontecer, sempre fui muito cética em relação a isso). Mas depois “caiu-me tudo” quando soube que ele se ia embora, para o país dele, dali três dias. Tentei aproveitar ao máximo o fim-de-semana com ele, mas no final fiquei com o coração partido e até hoje nunca mais voltamos a falar. Estou sempre a perguntar o que poderia ter acontecido se tivéssemos mais tempo, mas a vida é mesmo assim, não “anda” como nós queremos. Sempre me disseram que existe um propósito das coisas acontecerem e eu acho que isso é verdade.
    Muitas pessoas me perguntam o porquê de não namorar e a razão de “descartar” alguém que se mostra interessado por mim. A minha resposta é sempre a mesma. Não ando a procura de um rapaz que não faz o mínimo esforço para me conhecer e apenas uma pessoa que me define à primeira vista. Não quero “um príncipe num cavalo branco”, e sim, alguém que me respeite, que me conheça e aceite-me pelo que eu sou. Acho que, hoje em dia, as pessoas namoram apenas virtualmente e sem conhecer os mínimos da outra pessoa e eu não quero isso para mim.
    Mas como tu dizes ainda não foi desta que o amor me bateu a minha porta. Um dia, talvez!
    Parabéns pelo teu trabalho, espero que tenhas muita sorte.

    Liked by 1 person

    1. Ola Paula,
      Fiquei bastante tocada pela história e sinto-me mesmo igual a ti.
      Tenho 19 mas nunca namorei e sei la é uma coisa que eu gostava, mas eu não consigo envolver-me com alguém que não me faça sentir algo, sinto-me mal a faze-lo e claro prefiro esperar por alguém que mexa comigo.
      Espero que encontres alguém que goste de ti verdadeiramente.
      Beijinhos e muito obrigada pelo teu comentário! ❤

      Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s